domingo, 26 de julho de 2015

Olhar Aliado


mãos                        palavras
   amigos                         vivências
        ideias                               cores tintas quintais gritos crianças perdidasencontrando

A criação ganha asas frenéticas, se torna destruição, da qual nasce a mais bela e poderosa fênix criadora. Já alertava Pablo Picasso: "Todo ato de criação é, antes de tudo, um ato de destruição" e assim, através da oficina ministrada por Guga Cidral, a Cia do Abração vivenciou estes atos. Se perdendo na individualidade de cada um, e se encontrando na coletividade.


video


"Kartas de Uma BoneKa Viajante" começa aí. Talvez um pouco antes, ou um pouco depois. Só o Tempo nos dirá. E com tempo, veremos que o próprio Tempo é o condutor dessa bela história. Uma história que começa em um futuro que é o presente, mas embalada pelo Tempo retorna ao passado, aonde o velho encontra o novo e, mesmo tão distantes, se fundem e transformam-se noutro, enquanto o Tempo os conduz pelo caminho da esperança.

Kartein. Um velho. Velhice essa que pesa cada dia mais, seja pela tosse incessante, pelo mal-humor, pela melancolia ou pelo fracasso insistente em exercer o que ama: escrever. Ele é um escritor. Desentendido com seus amigos, o lápis e o papel, exige de seu pulmão que o leve para caminhar ao parque. Um hábito matutino. Sabe como é, todo velho tem suas manias. Manias com tanta monotonia que não sei como ainda são fontes de alegria. Alegria essa justamente atrelada com a monotonia, porque quando ela é interrompida...


Elsí. EL SÍ. eu sim. Eu Sim! Elsí, uma menina em busca de si. Que, por mais chorosa, é curiosa e, acreditando nos sonhos, sonhos de Sisi, do Carteiro de Bonekas e da Boneka K, vive e constrói seu caminho autenticamente. A raíz de Elsí é K:
                                                    boneka K
                                                      atriz Kamila
                                                 amigo Kartein
                                                          Kartas

tiK taK tiK taK tiK taK tiK taK tiK taK - foi o Tempo que passou. Passou? Está passando. Passará?
uma teia de complexidades, abstração, que foge das formas e da compreensão.
um Tempo. um Tempo que anda. Anda como?
a pé (o Tempo tem pé?)
sobre rodas - bicicleta, motocicleta, carro, esbarro, trem, aquém, caminhão balão avião
voa, feito passarinho (tem asas?)
ou se arrrrrrrrrrrrrrrrasta, como minhoca, lesma ou tarrrrrrrrrrr...taruuuuuuuuuuuuuuuuuuu...ga
as vezes nem passa. fica parado. ou passa tão rápido que parece se materializar em outro tempo-espaço.

acho que depende. Depende do quê? Depende de quem!


o Tempo pode unir                                                                                                   velhos&crianças
 

tosse a choro
            choro a fantasia
                         fantasia a confiança
                                         confiança a criação
                                                            criação a sinceridade
                                                                           sinceridade a crescimento
                                                                                                 crescimento a maturidade
                                                                                                                        maturidade a esperança
                                                                                              conhecimento a maturidade
                                                                        curiosidade a conhecimento
                                                  imaginação a curiosidade
                                   brincar a imaginação
                  amizade a brincar
                  a amar

o Tempo é quem diz.
o Tempo conduz.


É através das Kartas de uma boneKa viajante que dois destinos são unidos. O de Elsí, a caminho do amadurecimento, com o de Kartein, que descobre-se carteiro de boneKas e vai ao encontro da sua criança. Entrelaçados pelo tempo, dando passos a la Antonio Machado: "Caminante, no hay camino. Se hace camino al andar". Passos, pulos, deslizes e giros. Aliados ao tempo, aonde podem um velho e uma criança chegar?

O ponto de partida sabemos. A pista de decolagem da dramaturgia é um livro, "Kafka e a boneca viajante", de Jordi Sierra i Fabra, livro que tem como pista de decolagem um fato real, da vida de Kafka, contado através de sua esposa Dora, que Fabra transforma em mágica literária. Pois, nossa mágica teatral está sendo feita, e o vôo vai longe...